epes

CURSO TÉCNICO de SEGURANÇA e SALVAMENTO em MEIO AQUÁTICO

Técnico de Segurança e Salvamento em Meio Aquático

Portaria nº 1311/2006 de 23 Novembro

Duração: 3 Anos Formativos

 

plano formação salvamento


O/A Técnico/a de Segurança e Salvamento em Meio Aquático é o profissional qualificado que, sob orientação do técnico superior da área, está apto para desenvolver atividades de prevenção e de salvamento em meio aquático, nomeadamente nos espaços de risco e de sinistralidades aquáticas diversificadas: Albufeiras; Aquários de Aquacultura; Fossos de Actividades Sub-Aquáticas; Lagos; Mar; Marinas; Parques Aquáticos; Piscinas; Portos; Praias; Rios, etc…

 Colaborar nos processos de avaliação de riscos aquáticos – QSIA – Quadros de Sinistralidade Aquática – ARSA – Análise de Riscos e Sinistralidade Aquática;

 

 Desenvolver e implementar medidas de prevenção, de segurança e salvamento em meio aquático – Planos Operacionais de Salvamento Aquáticos – POSA’s, aplicando as TTSA – Técnicas e Tecnologias de Salvamento Aquático, nos PON e PAE do SInQSalvA;

 

 Implementar e acompanhar a execução das medidas de prevenção, de segurança e salvamento em meio aquático dos POSAs – Planos Operacionais;

 

 Colaborar no planeamento, na implementação e avaliação do Modelo SInQSalvA - Sistemas Integrados de Gestão de Prevenção e Salvamento Aquático da empresa pública, privada ou de economia social, que enquadre atividades em espaços aquáticos;

imagem_testm

 

Formulário Pré-Inscrição  

 

PERGUNTAS FREQUENTES ( FAQ )

 

Um curso profissional dá-te uma Qualificação Profissional que é indispensável para ingressares no mercado de trabalho porque te permite diferenciar e especializar numa área de trabalho do teu interesse.

Como diz o ditado: "Trabalhar por gosto não cansa!"

Em primeiro lugar, a atividade económica social é uma forma de estar e viver.

É uma oportunidade fantástica de enriquecimento profissional e pessoal com base em valores que primam pelo bem comum e por uma sociedade mais justa.

Além do mais, dado o cariz mais social das OES, o governo promove programas de financiamento especiais para este tipo de organizações e, dessa forma, ficam em aberto excelentes oportunidades de trabalho habitualmente pouco exploradas.

A economia social é uma verdadeira resposta à crise, sustentada no Profissionalismo, Voluntariado e Cidadania Ativa.

Sim.

Este curso prevê os seguintes apoios sociais:

- Subsídio de Alimentação;

- Subsídio de Transporte;

- Subsídio de Alojamento*;

- Material Escolar;

- Acolhimento de Dependentes;

- Bolsa de Profissionalização no Estágio/FCT

(de acordo com o Regulamento do FSE (UE) n.º 1304/2013 e dos Regulamentos Nacionais a serem criados pelo POPH/POCH no âmbito QEC 2014 a 2020)

(*) – condições especiais a definir individualmente.

As OES são Organizações de Economia Social, nomeadamente, as Associações, as Cooperativas e as Mutualidades.

Estas organizações constituem uma figura jurídica de carácter e fim um pouco distintos em relação às organizações comerciais mais comuns.

São, normalmente, constituídas por um maior número de sócios (ou cooperantes) onde o bem comum é mais valorizado que o de um indivíduo ou mesmo de um pequeno grupo.

Estão também, geralmente, associadas a atividades de cariz social, onde os objetivos da organização são especialmente orientados para o bem da sociedade em geral, e do meio social onde está inserida em particular.

Apesar de orientados para as OES, este curso profissional não deixa de ser generalista e, por isso, apto a qualquer organização.

Por outro lado, sendo orientado para as OES, mais facilmente se aproveitam as oportunidades no mercado social de trabalho, nomeadamente programas financiados como o COOPJOVEM.

As OES - Organizações de Economia Social são particularmente orientadas para o bem comum, em particular, para o meio social onde estão inseridas.

Esta orientação é particularmente importante no seio dos grupos sociais mais desfavorecidos e, sabendo isso, as OES adoptam políticas de cidadania ativa que passam, entre outras, pelo voluntariado e pela promoção do emprego.

Sim.

No final do curso, ao aluno finalista, são passados dois certificados:

- Certificado Nível IV de Qualificação Profissional;

- Diploma de conclusão do Ensino Secundário.

Sim.

Como em todos os cursos profissionais, é possível prosseguir estudos por duas vias:

- através dos Cursos de Especialização Tecnológica (geralmente apelidados por CET's);

- ou através do Ensino Superior (Universitário/Politécnico).

Sim, se for a 1ª vez que te matriculas na EPES.

Os equipamentos são oferecidos por uma entidade parceira e depende de algumas condições, que são:

- É atribuído ao formando no início do 2º período;

- A assiduidade deve ser maior ou igual a 95%;

- Deve ter avaliação positiva em todos os módulos;

- E, não pode ter incidentes disciplinares.

top
epes © 2017. Todos os direitos reservados.